Seguidores

sábado, 10 de setembro de 2016

♥ 60ª semente: vem da Maria Luiza... ♥


Encontre sua grandeza porque Deus no ato de criarmos
 nos fez grandes, vitoriosos, vencedores!

Somos obras perfeitas que Ele determinou
 para prosseguirmos e não perder essa essência.

Somos pessoas gloriosas, vindas desse amor misericordioso
 ao sermos selecionadas por Ele para viver.

Há uma grandeza magistral em mim, em você!

Busquemos para a glória do Senhor, 
amém!!!
Paz!

Com essa semente que trago lá da Maria Luiza, cheia de PAZ e com essa linda mensagem, deixamos esse nosso canteiro repousar... 

Chegamos ao número de 60 sementes.

Agora, ficarão germinando até um novo ciclo recomeçar!

beijos, obrigadão a todos! 

chica

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

♥ 59ª ª semente: vem da Maria Rodrigues... ♥


Senhor, fazei com que eu aceite
minha pobreza tal como sempre foi.

Que não sinta o que não tenho.
Não lamente o que podia ter
e se perdeu por caminhos errados
e nunca mais voltou.

Dai, Senhor, que minha humildade
seja como a chuva desejada
caindo mansa,
longa noite escura,
numa terra sedenta
e num telhado velho.

Que eu possa agradecer a Vós,
minha cama estreita,
minhas coisinhas pobres,
minha casa de chão,
pedras e tábuas remontadas.
E ter sempre um feixe de lenha
debaixo do meu fogão de taipa,
e acender, eu mesma,
o fogo alegre da minha casa
na manhã de um novo dia que começa.


Cora Coralina

* Essa semente trouxe lá do blog da Maria Rodrigues


E dia 10, com a semente nº 60, teremos a última  por aqui...
De quem será???
Não que faltem sementes.
Elas estão  em grande quantidade, mas esse blog cumpriu já sua razão de ser!
INTÉ!

chica

domingo, 4 de setembro de 2016

♥ 58ª ª semente: vem da Beatriz ... ♥

Essa semente encontrei lá na Beatriz...


Há muito tempo atrás,
Quando as mulheres eram aves,
Havia a compreensão
Que cantar ao amanhecer
E cantar ao anoitecer
Era curar o mundo através da alegria.
As aves ainda se lembram daquilo que nós esquecemos,
Que o mundo existe para ser celebrado.

(Terry Tempest Williams)

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

♥ 57 ª semente: vem da Flor de Jasmim... ♥

A amoreira altiva serena raízes fincadas no tempo prenhe de doçuras vermelhas balança os longos braços acenando ao sol que cochila no poente. Descalça a brisa pisa na terra úmida e chega perto como fazer um blog de um sapo luzidio que olha fixamente o nada. Agregada ao cenário da tarde permaneço imóvel por longos momentos enquanto me enrosco toda no cipoal dos pensamentos... Shirley Brunelli Crestana

Caminhando por aí
olho, admiro e sinto.

O sentido da vida 
está na importância das coisas simples.



A amoreira altiva serena raízes fincadas no tempo prenhe de doçuras vermelhas balança os longos braços acenando ao sol que cochila no poente. Descalça a brisa pisa na terra úmida e chega perto como fazer um blog de um sapo luzidio que olha fixamente o nada. Agregada ao cenário da tarde permaneço imóvel por longos momentos enquanto me enrosco toda no cipoal dos pensamentos... Shirley Brunelli Crestana
A amoreira altiva serena raízes fincadas no tempo prenhe de doçuras vermelhas balança os longos braços acenando ao sol que cochila no poente. Descalça a brisa pisa na terra úmida e chega perto como fazer um blog de um sapo luzidio que olha fixamente o nada. Agregada ao cenário da tarde permaneço imóvel por longos momentos enquanto me enrosco toda no cipoal dos pensamentos... Shirley Brunelli Crestana
A amoreira altiva serena raízes fincadas no tempo prenhe de doçuras vermelhas balança os longos braços acenando ao sol que cochila no poente. Descalça a brisa pisa na terra úmida e chega perto como fazer um blog de um sapo luzidio que olha fixamente o nada. Agregada ao cenário da tarde permaneço imóvel por longos momentos enquanto me enrosco toda no cipoal dos pensamentos... Shirley Brunelli Crestana
A amoreira altiva serena raízes fincadas no tempo prenhe de doçuras vermelhas balança os longos braços acenando ao sol que cochila no poente. Descalça a brisa pisa na terra úmida e chega perto como fazer um blog de um sapo luzidio que olha fixamente o nada. Agregada ao cenário da tarde permaneço imóvel por longos momentos enquanto me enrosco toda no cipoal dos pensamentos... Shirley Brunelli Crestana
A amoreira altiva serena raízes fincadas no tempo prenhe de doçuras vermelhas balança os longos braços acenando ao sol que cochila no poente. Descalça a brisa pisa na terra úmida e chega perto como fazer um blog de um sapo luzidio que olha fixamente o nada. Agregada ao cenário da tarde permaneço imóvel por longos momentos enquanto me enrosco toda no cipoal dos pensamentos... Shirley Brunelli Crestana

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

♥ 56ª semente: vem da Helena ... ♥


 Essa semente retirei do canteiro da HELENA




Hoje cedo

ao gotejar pensamentos entre as flores

matizadas de sol

encontrei um verso em meio às raízes

suspirando por um pouquinho de luz...

Tomei-o entre os dedos e dei-lhe forma

até que suas asas cocegaram-me a palma da mão

e eu o libertei...

E lá se foi ele respingando estrelas

entre os raios que o sol fazia filtrarnos arbustos que sustinham as flores...

Acho que mais à noitinha

teremos um vendaval

de poesia

a enfeitar o céu!

Helena

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

♥ 55ª semente: vem da Alzira ... ♥



A semente de hoje vem da Alzira Dinelli
, faz pensar!

E se você tivesse acordado hoje só com o que agradeceu ontem?

Muitos teriam acordado sem nada...........

terça-feira, 16 de agosto de 2016

♥ 54ª semente: vem da Paula Belmino... ♥

Essa semente de hoje vem da Paula Belmino


Os livros são portas
São asas
São tapetes mágicos que levam aos mais belos lugares
São flechas atiradas ao coração
Pra fazer a gente ver a vida com mais sentimentos
Refletir, repensar, sonhar com emoção.
Os livros são janelas
Que se abrem ao vento
E de onde se avista além do horizonte
Planos traçados, amores sonhados
Céus de estrelas
Oceanos e mares.
Os livros são pipas que voam ao céu
São pássaros a cantar
Falam de amor, de paz, de sentimentos e sensações
Mudam nossa visão ofuscada
São luzes a piscar e a iluminar em clarão.
Os livros são astros e estrelas cadentes
Passam em nossa mente mudando o pensamento
Articulam valores, acomodam-se no peito
Moram no céu de nossa boca em prosa e poemas
E ateiam fogo em nosso coração.
Os livros são fonte de água cristalina e lavam a alma
Trazem alento, paz e calma
São janelas abertas pro sol nascente
Ou proteção em dias de temporal.
São delicados, e arrebatadores,
Magia em qualquer lugar.
Os livros são tudo que a gente quiser
Podem vestir a roupa que desejar
O livro é um lugar.